logo
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore.

Papel ou Plástico?

Papel ou Plástico?

A luta para preservar o meio ambiente sempre esteve presente no nosso cotidiano, entretanto hoje, com a facilidade de comunicação e da propagação de informações, estas causas acabaram ganhando mais espaço e visibilidade no cenário mundial. Para que uma causa ganhe força, são necessárias três características em comum, uma causa, um vilão e a aceitação das pessoas, mas nem sempre isto quer dizer que é o correto, para ilustrar esta situação, o Blog da multicolor esclarece um dos maiores mitos sobre a preservação do meio ambiente, Papel X Plástico.

Hoje se tornou comum os mercados substituírem a utilização das sacolas plásticas por sacolas de papel, dando assim a falsa ilusão de preservação, o que poucas pessoas sabem é que o plástico em sua invenção surgiu como um substituto para o papel, já que na época o desmatamento para produtos com está base era enorme, e as soluções eram escassas.

Diversas empresas e pessoas defendem uma causa que se torna um ciclo sem fim, assim como o plástico diversos produtos que vem do papel, são constantemente depositados em lugares impróprios, e também poluem, mas para que está explicação fique mais clara:

De acordo com os dados da Global Forest Watch, o Brasil perdeu 53.8 milhões de hectares de cobertura arbórea entre 2001 e 2018. Isso significa uma redução de 10% da área florestal desde 2000. No período, estima-se que 66% desta perda ocorreu devido a fatores de urbanização e de agropecuária para fins comerciais.

Neste estudo considera-se a área da Amazônia Legal pelo fato de ser a principal área florestal do país, entretanto, os dados também consideram a extensão da Mata Atlântica e do Cerrado brasileiro.

                             Taxa anual de desmatamento no Brasil. (Fonte: INPE)

 

                                  Taxa de desmatamento no Brasil por estado (Fonte: INPE)

 

Apesar destes números alarmantes em relação ao desmatamento, hoje 98% da produção de papel no Brasil é fruto de reflorestamento (Eucaliptos e Pinus), ou seja, são árvores especialmente plantadas para este tipo de consumo, entretanto, o simples fato de ser reflorestado não diminui o impacto ambiental que este processo tem. Atualmente a produção de papel é uma atividade com alto nível de consumo de recursos.

 

  • É a quinta atividade comercial em consumo de energia do mundo.
  • Consome-se 100.00 litros de água para cada tonelada de papel fabricado.
  • A monocultura de Eucaliptos e Pinus lava a degradação do solo e desertificação.
  • O efluente gerado no processo de branqueamento possui alto teor de dioxinas, provindas do cloro, trazendo grande risco de câncer.
  • O papel pode levar de 3 a 6 meses para se decompor, entretanto se depositado no lugar errado pode chagar a 100 anos.
  • Atualmente a população brasileira produz diariamente 240 mil toneladas de lixo, 25% se trata somente do papel.

 

De acordo com os dados da Bracelpa o Brasil possui atualmente 2,2 milhões de hectares de florestas plantadas para produção exclusiva de papel e celulose e a expectativa é expandir essa área em 45%, alcançando 3,2 milhões de hectares.

Somente a substituição do consume de plástico para papel, não irá resolver os impactos sociais sob o meio ambiente, é necessário para está questão irmos um pouco mais fundo e entendermos que se hoje a culpa é exclusivamente do plástico, dentro de alguns anos será do papel, e desta forma o verdadeiro culpado segue escondido atrás da voz eu aponta o erro, este problema é exclusivamente das pessoas, dos seres humanos, a final de conta o plástico não se apresenta nos lugares errados por conta. É necessária uma reeducação cultural e mental de todos, afinal a culpa não é do plástico e sim de quem não lhe da o fim devido.